Razao

ESTE BLOGUE COMBATE TUDO O QUE POSSA POR EM CAUSA A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA E A SUA LIBERDADE. É, POR ISSO, ANTICAPITALISTA E ANTICOMUNISTA.

08/04/11

Revolução Precisa-se!

Infelizmente vivemos num estado oligárquico, onde democracia é uma panaceia que se esgota no dia das eleições. Milhares vão votar nos mesmos de sempre, impelidos pela lavagem ao cérebro da propaganda dos órgãos de comunicação social, que são manipulados pelos oligarcas do país. A grave situação que Portugal está a viver deve-se, sobretudo, há vassalagem que, há muito tempo, o poder político presta ao poder económico e financeiro. Todos sabemos que as oligarquias são formas primitivas de governação que só servem interesses mesquinhos e tacanhos. Isto já na Grécia antiga era conhecido. A nossa desgraça reside precisamente no facto da nossa sociedade ter uma classe política subserviente da classe económica e financeira. E isto vem de há muito tempo a esta parte. Mais precisamente, desde a bolha bolsista especulativa de 1987, orquestrada por Cavaco e Silva. Esqueceram-se? E quando assim é, mais tarde ou mais cedo, caímos em desgraça. Ela aí está à vista de toda gente...

Assim, mais do que fazer rodar os partidos na esfera do poder, todos eles conotados com os interesses instalados, é necessário regenerar a classe política. A solução seria uma nova revolução e a imposição de um governo verdadeiramente democrata onde os interesses das populações e do país fossem efectivamente defendidos. Um pequeno exemplo. Veja-se o que ao longo dos últimos 30 anos tem acontecido com as nossas florestas que são, indubitavelmente, uma das nossas maiores riquezas. Viram algum político verdadeiramente interessado em defende-la? Não querem saber... porquê? Isto passa-se relativamente a tudo o que diz respeito ao nosso património colectivo. Mar, pescas, agricultura, ciência, cultura... Poderíamos citar tantos casos que seria fastidioso fazê-lo. E tudo por incompetência de quem nos governa e governou nos últimos 30 anos!

Assim, não sendo aparentemente possível fazer uma revolução do tipo 25 de Abril, que bem precisávamos, resta-nos usar a única arma que nos resta. O voto. Devemos todos ir votar. Em massa. MAS VOTAR SOMENTE NAQUELES QUE NUNCA ESTIVERAM NO PODER NOS ÚLTIMOS 30 ANOS. Assim, da lista abaixo, não devemos votar nos que estão a vermelho, ou em qualquer coligação em que venham a entrar. Como podem ver, na realidade, temos muito por onde escolher. Afinal, porquê votar sempre nos que tanto mal nos têm feito?

Esquerda

Centro-esquerda

Centro

Centro-direita

Direita

Pensem bem nesta mensagem e decidam fazer qualquer coisa pelo nosso país! Votem em todos menos no PP, PPD e PS e não se deixem levar pelo mito de que os que lá estão, pela sua "experiência", são mais competentes. Não são! Quando para lá foram, também não a tinham. Não se deixem enganar! O que a actual classe política tem mostrado é que é incompetente e mentirosa.

POSTSCRIPT.:

Quero deixar bem claro que sou um independente de esquerda e sempre votei PS. Por isso, enganado, ajudei a eleger José Sócrates para o seu primeiro mandato. Agora luto para remediar o meu erro. Essa é a razão desta minha mensagem. Sem mais!

VOTEM CONTRA O SISTEMA. VOTEM ESQUERDA OU DIREITA, MAS NUNCA NO PPD-PSD, PS ou CDS-PP!

2 comentários:

Anónimo disse...

O problema é que essa revolução, necessária, não se faz com a indigência das alternativas que estão à disposição do voto popular. Algumas das figuras que estão à frente desses partidos, não passam de indigentes intelectuais, no sentido mais literal do termo. O que aconteceria ao país quando fosse varrido do euro? Restaria à população dedicar-se à caça e à pesca.

João do Lodeiro (JP) disse...

Caro Amigo,

Concordo em parte com o que diz. Mas não sendo possível a tal revolução necessária, não acha que deveríamos ao menos correr com quem tem feito tanto mal a Portugal? Ao menos tentaríamos novas soluções, optando por outros indigentes. Assim, castigaríamos os actuais e teríamos sempre a esperança de que os novos indigentes fossem mais competentes que os actuais. Se pensar bem, ficaremos sempre a ganhar. Em relação à permanência no euro, não sei sinceramente. O euro está pensado para as economias fortes do norte da Europa que, infelizmente, se estão a tornar egoístas e com estilos a roçar o neo-colonialismo. Essa gente esqueceu-se dos princípios que nortearam os fundadores da união. Hoje, olham somente para o seu umbigo. Esperemos que não destruam a União e, consequentemente, a paz que tem sido duradoura, por motivos de puro egoísmo economicista. Afinal, eles têm enriquecido muito com o Euro e não podem virar as costas aos países que estão em dificuldades. É a minha opinião.