Razao

ESTE BLOGUE COMBATE TUDO O QUE POSSA POR EM CAUSA A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA E A SUA LIBERDADE. É, POR ISSO, ANTICAPITALISTA E ANTICOMUNISTA.

23/08/11

Obesidade Mental

Este é o título de um texto que circula na net há já alguns anos. Trata-se de um texto enigmático atribuído a um pseudo-professor de Harvard, um tal Professor Andrew Oitke. Na realidade, parece que o texto foi escrito pelo Professor João César das Neves (JCN), Professor da Universidade Católica e que o tal Andrew Oitke não passa de um pseudónimo. Se assim é, ficamos deveras surpreendidos. Pois concordarmos com muitas ideias contidas neste manifesto quando, ao mesmo tempo, discordarmos em absoluto das ideias conservadoras e neoliberais normalmente defendidas por JCN. Segundo Oitke, “Mental Obesity”, é o conceito que melhor descreve os problemas que se vivem na sociedade moderna.

«Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada. Está na altura de se notar que os nossos abusos no campo da informação e conhecimento estão a criar problemas tão ou mais sérios que esses.». Segundo este autor, «a nossa sociedade está mais atafulhada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares-comuns que de hidratos de carbono. As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas. Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada.»

Sem dúvida, concordamos plenamente com este juizo. Mas segundo este autor, existem responsáveis. «Os cozinheiros desta magna "fast food" intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e filósofos, os romancistas e realizadores de cinema. Os telejornais e telenovelas são os hamburgers do espírito, as revistas e romances são os donuts da imaginação». Rematando que o problema central está na família e na escola. «Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se comerem apenas doces e chocolate. Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dieta mental das crianças seja composta por desenhos animados, videojogos e telenovelas. Com uma «alimentação intelectual» tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção... é normal que esses jovens nunca consigam depois uma vida saudável e equilibrada.» Sobre os responsáveis, este autor adiante ainda. «O jornalista alimenta-se hoje quase exclusivamente de cadáveres de reputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações humanas. A imprensa deixou há muito de informar, para apenas seduzir, agredir e manipular». Acrescentanto ainda. «Só a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.» Para depois concluir que «Não admira que, no meio da prosperidade e abundância, as grandes realizações do espírito humano estejam em decadência. A família é contestada, a tradição esquecida, a religião abandonada, a cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte é fútil... Floresce a pornografia, o cabotinismo, a imitação, a sensaboria, o egoísmo. Paradoxal ou doentia. Não se trata de uma decadência, uma «idade das trevas» ou o fim da civilização, como tantos apregoam. É só uma questão de obesidade. O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos. O mundo não precisa de reformas, desenvolvimento, progressos… precisa em suma de uma dieta mental.»

Embora concordemos com a essência destas ideias, obviamente que uma leitura atenta deste texto mostra claramente que ele foi escrito por alguém conservador e ligado à Igreja. Percebe o problema, mas não percebe a sua origem. Dizer que os responsáveis são, em resumo, jornalistas, comentadores, editores, realizadores, etc., é ver somente a espuma do problema. A sua face. A comunicação social, hoje, é somente um instrumento nas mãos da plutocracia reinante à escala mundial, para que esta atinja os seus objectivos. Salazar adoraria viver nos nossos dias. No fundo, JCN é, no mínimo, paradoxal. Por um lado reconhece o problema, mas por outro, não percebendo a sua origem, defende ideologias económicas e políticas que estão na sua origem.

No fundo, as ideologias políticas conservadoras e liberais que JCN tanto defende, são as mesmas que permitem que a plutocracia do mundo instrumentalize de forma generalizada a comunicação social do planeta, debitando propaganda que tem como fim último a estupidificação das massas. É mais fácil manipulá-las. Salazar, com a sua política do Deus, Pátria e Família, tão cara a JCN, sabia-o bem.

E o problema actual é mesmo muito grave. Veja-se o que o movimento Tea Party tem conseguido fazer nos Estados Unidos actualmente. É provável que consiga que Obama não seja reeleito. Embora, como aqui já dissemos, Obama, como Presidente dos EUA, esteja a ser uma autêntica desilusão. Mas estes movimentos são assustadores e são comandados pelas grandes corporações financeiras, desejosas de, a todo o custo, manterem os seus interesses intocáveis. Como é o caso do lobby das seguradoras por causa da saúde privada. Em Portugal, à descarada e sem vergonha, passa-se o mesmo. Mas Portugal sempre esteve a saque. O PSD ganhou as eleições e, ao contrário do que sempre apregoou, e da sua tremenda hipocrisia em torno dos “boys” do PS, pois se calhar o PSD tem mais “boys” ainda, começou de imediato a eleger administradores a torto e a direito para as empresas públicas. Mas, como todos sabemos, o que passa para a opinião pública é que os boys são todos do PS. Certo? De uma assentada passou o conselho de administração da CGD de 7 para 11. Escandalosa foi a nomeação de um administrador do Grupo Mello, um próximo de Passos Coelho, para a gestão da caixa. Isto nada tem a ver, obviamente, com a vontade deste governo, do qual, imagino, JCN tanto gosta, de privatizar parte da CGD. Não! Eles julgam que já sofremos todos de obesidade mental e, como tal, não atingimos. Da! Mas eu, como faço muita dieta mental, digo que esta gente não tem um pingo de vergonha na cara.

Mas, voltemos ao mais importante. A lavagem ao cérebro das massas conduz, como muito bem sabemos, ao surgimento de movimentos políticos perigosíssimos. O filósofo espanhol Ortega y Casset, descreveu-o muito bem. Foi isto que esteve na origem do Partido Nacional Socialista na Alemanha que, com a subida de Hitler ao poder, conduziu a humanidade a uma guerra mundial sangrenta e a uma monstruosidade chamada Holocausto. E em sociedades capitalistas, onde o dinheiro compra tudo, como nos EUA, assiste-se à compra de canais de televisão poderosos, como é o caso da FOX NEWS, para a propaganda e lavagem ao cérebro do americano inculto. Que, diga-se, é maioritário no país. Aqui, ao contrário dos EUA, não precisam de comprar canais. Eles já são propriedade dos respectivos interessados.

Afinal, parece que ninguém escapa à obesidade mental. Façam dieta como eu!

Sem comentários: